O Museu Nacional da Coréia do Sul inaugurou recentemente um tributo à arte e engenhosidade humanas: a recriação de um relógio movido a água originalmente projetado em 1434. “Jagyeckru do pavilhão Borugak, nome da peça original, é uma delicada monstruosidade: mede 6 metros de comprimento, 2 metros de largura e 6 metros de altura. Foi concebido por um cientista chamado Jang Young-sil, durante o reinado de Sejong (1418-1450).

O magn�fico Jagyeckru

O projeto foi tão bem sucedido que permaneceu ativo e copiado em outros pontos da Ásia pelo menos até o século 16.

O relógio funciona graças a um fluxo controlado de água, que é distribuída em três potes de tamanhos diferentes (à esquerda na foto). Bastões flutuam na água e sobem verticalmente quando ela se acumula. A certa altura, os bastões empurram alavancas que, por sua vez, liberam bolas metálicas.

As bolas correm por canaletas (centro da foto) e atuam como contrapesos para um mecanismo que faz soar um gongo a cada 20 minutos, um tambor a cada 100 minutos, e um sino a cada duas horas. Ao toque desse sino, o relógio movimenta um dentre vários bonecos (à direita na foto). Cada boneco carrega uma plaqueta com uma indicação de hora cheia.

Pesquisadores gastaram 20 anos e cerca de um milhão de dólares para fazer a reconstrução a partir dos resquícios de uma versão fabricada em 1536, chamada “Jagyeongnu”. O líder do grupo, prof. Nam Moon-hyon, ressalta a importância da peça para a história da tecnologia, uma vez que foi originalmente projetada com base em conceitos de engenharia de várias partes da Ásia.

Anúncios